Seis tendências do desfile da Louis Vuitton no RJ


website translator plugin

Nicolas Ghesquière se inspirou no Brasil, mas a interpretação do estilista veio mais em um conceito de sportwear urbano do que no tropicalismo que costumamos ver. 

louis-vuitton-cruise-ABRE


 O diretor criativo da grife se encantou pela “explosão”, a vibração que sentiu por aqui, por isso muitos itens da coleção trazem essa referência à velocidade, fora a cartela de cores vivas, que no final do desfile passa para tons neutros, um lado mais parisiense.

louis-vuitton-cruise-bolsa-som


Bolsa: impossível ver um desfile da LV e não se pegar de boca aberta com alguma bolsa, nem que seja só pela pegada fun! Essa aqui em formato de rádio pode tocar música de verdade, via bluetooth! 

louis-vuitton-cruise2


Sexy: Nicolas Ghesquière, que costuma apostar em uma estética mais modernista, com modelagens amplas e retas, se rendeu à sensualidade brasileira em looks mais justos ao corpo, com destaque para os vestidos de neoprene. Uma pegada bem “body-conscious”, que valoriza as curvas, mas está longe (bem longe) de ser vulgar!

louis-vuitton-cruise3


Sapatos pesados: a alegria das roupas coloridas, com babados e recortes ganharam um contraponto com os coturnos “de verão” e as sandálias-bota. Com peso mais masculino nos acessórios é um truque de styling muito bem-vindo e super atual!

louis-vuitton-cruise4


Futebol. Se a inspiração é o Brasil e o esporte apareceu como influência forte em toda a coleção, Talvez a interpretação mais literal dessa brasilidade toda, a estampa (que em alguns momentos parece ser mesmo Pelé) apareceu em bolsas e vestidos!


louis-vuitton-cruise6

Preços a partir de R$ 16.400 (ouch!)

louis-vuitton-city-steamer-pm-epi-cruise-2017--M54028_PM2_Front-viewlouis-vuitton-cruise5