Casa centenária, decoração atemporal


website translator plugin

Casa centenária, decoração atemporal

Projeto em San Francisco mescla o antigo e o novo
A fachada vitoriana em uma rua de San Francisco escondia um imóvel degradado pelo tempo. Bastaram o olhar do proprietário e a habilidade do decorador, encarnados na mesma pessoa, para trazer a memória centenária da construção novamente para dentro de casa. Para honrar o passado da residência, Antonio Martins integrou espaços mal distribuídos, assumiu os ângulos incomuns de alguns cômodos e removeu as camadas grossas de tinta até achar a madeira original.
A aposta do profissional na decoração eclética, que combinou peças de antiquários, obras contemporâneas, figuras religiosas e design vindo do mundo todo, aproximou o passado do presente, imprimindo uma aura atemporal no espaço, e dando personalidade a cada um dos ambientes.
Na sala iluminada pela bay window, a chaise inspirada nas curvas da clássica Biedermeier, peça alemã do século 17, encara com naturalidade as duas mesinhas, uma caixa bordô de chapéus e um baú antigo. No living, as esculturas de terracota da dinastia Han criam simetria e ordem, enquanto a musselina encapa o conforto da cadeira Papa Bear, design de Hans J. Wegner de 1951, para deixar a atenção livre para o quadro. Já na cozinha, o fogão de 1948 dialoga com a luminária de lâmpadas e soquetes à mostra.
De olho na harmonia do conjunto na ala social, a pintura branca é a base ideal para explorar a paleta quente do piso e do mobiliário, seja de design assinado ou não, e as texturas de tapetes e cortinas. O revestimento do setor íntimo, por sua vez, vibra com cores fortes. O vermelho radiante explode tons pela suíte de Martins, e o quarto de hóspedes ganha um papel de parede personalizado, que saiu da estampa de um tecido que o proprietário guardara havia um tempo.
No banheiro, a mesa de madeira sólida, comprada em um antiquário do Brasil, e o espelho pendurado no teto roubam a cena. As lanternas de carros antigos completam a decoração com seu perfume industrial. Por fim, o refúgio de Martins fica no jardim, antes tomado pelo marrom e pelas ervas daninhas. Ele fez questão de colocar ali um aconchegante sofá em meio à vegetação com suculentas, ervas e samambaias. É o spot ideal para tirar uma soneca aos finais de semana e relaxar com estilo.