SPFW: Resumo dos desfiles: Osklen,Samuel Cirnansck e Lilly Sarti


website translator plugin

Osklen

A Osklen consagra uma busca pela moda consciente que começou há 20 anos - a coleção que acaba de cruzar a passarela é 98% sustentável. Usando a seda do Casulo Feliz, algodão reciclado (que é dividido em cores antes do processo e por isso não precisa ser tingido), tingimento natural (com cebola, espinafre, urucum e eucalipto), couro de pirarucu e salmão. O que não é sustentável – pouquíssima coisa – é feito por cooperativas, como é o caso da bolsa de redinha. O resultado, além de ecoconsciente, é bem fino – destaque pro angorá sustentável branco (!), os matelassados e o couro sem cromo.


Samuel Cirnansck
Com direito à presença da própria gatinha na fila A, Hello Kity inspira o desfile de Samuel Cirnansck! ela pareceu em uma estampa com brilho na camisa, na bolsinha e nos laços. No restante Samuel Cirnansck volta à moda festa, que trouxe vestidos e conjuntos de alfaiataria para sua moda festa. Cada peça levou em média 6 mil cristais e 30 dias para ser bordado. 

Lilly Sarti
Com toques latinos e setentistas e com muitos babados, Lilly Sarti trouxe a passarela blusinhas mara em clima cigano, saias amplas, macacões pintosos, laises e cianinhas. A bolsa traz um franjão digno de Loulou de la Falaise (assim como o make de sombra azul assinado por Daniel Hernandez); na parte da noite o tecido “mosaico” parece jacquard mas é uma construção de renda. Entre os materiais: chamois, algodão reciclado, seda pura, jeans, aquele lamezinho básico dourado.